Tarô - Caminho de Auto-Conhecimento

Dias atrás conversando com um amigo sobre o Tarô eu vi que as minhas queixas eram as mesmas que as dele.

Tenho percebido que o perfil das pessoas que costumam me procurar para abrir o Baralho Cigano, no meu caso, e as que o procuram para abrir o Tarô, no caso de meu amigo, é sempre o mesmo.

Em geral são pessoas que buscam respostas para problemas que dependem unica e exclusivamente de suas escolhas e de seu próprio esforço em se ajudar.

Tanto eu como meu amigo vemos no Tarô uma ferramenta de auto-conhecimento é fato que podemos fazer previsões com o Tarô, que foi a maneira como foi difundido, mas quando se inicia um estudo espiritualista o Tarólogo passa a ver o Tarô com outros olhos, com outra percepção, com outro entendimento.

O Tarô está repleto de simbologias místicas e exotéricas, que nos auxiliam na busca pelo auto-conhecimento e também pela reforma íntima.

Até Carl Jung em seus estudo sobre a psicologia humana encontrou no Tarô um objeto de estudos fantásticos, hoje existem muitos tarólogos com uma abordagem Jungiana de interpretação, ou seja, uma interpretação pautada também na psicologia.

Temos também muita simbologia da Cabala no Tarô, não conheço a fundo a Cabala, mas pelos estudos que já fiz sei que através da numerologia cabalistica podemos adstrair muita coisa que pode nos orientar.

Eu particularmente jogo o Baralho Cigano que por natureza, e por tradição dos ciganos, é um baralho voltado para a consulta de previsões, mas trabalhando com meu cigano no dia-a-dia nas giras eu percebi que ele tem uma abordagem mais espiritualista do baralho, buscando mais uma concientização de quem o procura do que ficar respondendo a perguntas do tipo: "Quando vou casar?", "Vou ter filhos?", "Vou conseguir um novo emprego?".

Bem... Pela natureza das perguntas acima vocês percebem que se a pessoa nada fizer para que o que deseja aconteça tudo permanecerá na inércia em que se encontra, é preciso dar o primeiro passo para que a espiritualidade possa nos ajudar.

Não adianta vc ir a um Tarólogo, um Quiromante, ou qualquer oraculista esperando respostas milagrosas ou que o próprio oraculista produza tais milagres, a abordagem oracular precisa de uma nova abordagem tanto por parte de quem se consulta como por parte de quem abre o oráculo, seja ele qual for.

Já aconteceu de algumas pessoas se cosultarem comigo e sairem insatisfeitas com o que ouviram pois revelei exatamente aquilo que se aprensentava pra mim através do Baralho Cigano, as pessoas já nos procuram com as repostas às suas indagações que desejam ouvir, e quando ouvem a verdade muitas vezes saem frustradas.

É certo que oraculistas sérios e honestos existem, porém os vigaristas e charlatões também existem e aos montes, basta ver os classificados dos jornais ou cartazes espalhados pela cidade.

O momento em que estamos vivendo exige de nós conscientização, mudança das formas de se ver a vida.

Hoje viver a espera de um milagre é pura ilusão, o que a espiritualidade espera de nós é que arregacemos as mangas e nós mesmos através de nossos erros e acertos façamos a nossa lapidação para que de condições de pequenos e opacos diamantes, ao regressarmos à casa do Pai, possamos estar lapidados como reluzentes brilhantes.

Um abraço fraterno.

Daniel

Comentários

Unknown disse…
Na maioria das vezes as pessoas procuram cartomantes na expectativa de uma resposta premeditada. Elas já sabem o que querem ouvir, mas saem insatisfeitas quando não ouvem. A tua abordagem pinta bem o quadro. O difícil é fazê-las compreender que não somos nós cartomantes, a responder o baralho, mas seu próprio incosciente. É por isso que tem tantos charlatões por ai. Basta acertar uma coisa e outra que santificam o guru.

Abraços meu irmão

Postagens mais visitadas deste blog

Lua Grande? Lua Pequena?Uma Lua? Ai meu Deus, qual a diferença???

As quartinhas na Umbanda

O Alguidar na Umbanda