Reforma Íntima

Tenho observado muito a minha vida tanto pessoal quanto religiosa e tenho observado muito as pessoas que me procuram em busca de um auxilio espiritual ou de uma palavra amiga a fim de consolar suas dores e angústias.

Todas as pessoas estão sempre em busca da cura para suas dores e a solução para os seus problemas, todos, absolutamente todos, do mais rico ao mais pobre, do mais espiritualizado ao mais incrédulo.

E não me isento disso, pois já me peguei questionando o porque de muitas vezes passar por certos apertos e certas provações, questionando Deus, veja se tem cabimento, questionando os Orixás e Guias, veja se pode uma coisa dessas, como todos fazem a cada gira de atendimento que se passa.

Me vi num momento em que mais do que nunca preciso me reformar íntimamente, como na ilustração que coloquei nesse texto, passar da fase de lagarta para a fase de borboleta, mas ir além dela, pois como sabemos pelas aulas de ciências as borboletar não duram mais que alguns dias.

A reforma íntima que tanto eu como você, leitor, precisamos promover em nossas vidas devem ser solidas, reforçando os alicerces de valores bons e positivos como fé, amor, respeito, responsabilidade etc e derrubando paredes velhas e feias como a inveja, avareza, ódio, mágoas, rancores, etc...

Hahahahaha você certamente deve estar pensando que forma lúdica e infantil para tratar de um assunto como esse, sério e importante.

Mas é exatamente dos olhos de uma criança, do pensar de uma criança que necessitamos para iniciar o processo da reforma íntima, reforma interior, como queiram chamar.

Por que adotar o olhar e pensar de uma criança?

Bem eu explico.

Devemos adotar o olhar de uma criança pois nele ainda não há a malícia do olhar de um adulto e ainda não aprendeu a enchergar somente aquilo que lhe convém, isso nos possibilitará nos olhar no espelho sem máscaras, pois uma criança não se deixa levar por máscaras.

Passar a pensar como uma criança pois uma criança não vê dificuldades como um fator desmotivador, pelo contrário, vocês já viram um menino brincando com aquele brinquedo feito com uma latinha de ervilhas, um pedaço de cabo de vassoura e barbante? Desculpem não me lembro o nome desse brinquedo agora.

Num primeiro momento a criança tenta, tenta, tenta e acaba achando aquilo difícil, mas ela transforma a sensação de dificuldade em forçar para trabalhar e transformar a dificuldade em sucesso ou seja o pensar de uma criança sempre a impulsiona pra frente, desconhece a palavra medo, que nós adultos conhecemos tão bem, que a incorporamos em nosso dia-a-dia.

Eu sei que as vezes sentir medo é um termômetro para se evitar grandes acidentes ou perdas irreparáveis.

Mas devemos por vezes enfrentar esse medo de mudanças, medo do novo e ir em busca de novos horizontes, novos aprendizados.

Não é fácil, tampouco rápido promovermos nossa reforma íntima, mas sempre é tempo para começar ou recomeçar...

Um abraço fraterno a todos.

Daniel

Comentários

Anônimo disse…
Realmente Daniel precisamos sempre renovar. Disse Rui Barbosa: Um sabedor não é armário de sabedoria armazenada, mas transformador reflexivo de aquisições digeridas.
Precisamos ser assim...
Abs
Marcos membro da Umbanda de Jovem para Jovem.

Postagens mais visitadas deste blog

Lua Grande? Lua Pequena?Uma Lua? Ai meu Deus, qual a diferença???

As quartinhas na Umbanda

O Alguidar na Umbanda