Preconceito Religioso


Salve, salve, Galerinha do bem!

Tudo bem?


Já falei sobre esse assunto aqui no blog, mas tenho percebido que o nível de intolerância religiosa e desrespeito com o próximo no Brasil têm crescido em níveis alarmantes chegando às raias da selvageria. 

Não compreendo como em pleno século XXI ainda podem haver pessoas que pregam o ódio, seja ele qual for, e a segregação racial, em especial, em um país como o Brasil em cuja Constituição Nacional se prega a igualdade entre seus cidadãos independente de raça, credo, orientação sexual ou qualquer outro qualificador que venha a gerar diferenças entre si. Conforme podemos observar na citação abaixo extraída da Constituição da República Federativa do Brasil de 1988.

"Art. 5º Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e à propriedade,[...]" (disponível em: <http://www.jusbrasil.com.br/topicos/10641516/artigo-5-da-constituicao-federal-de-1988> Acesso em 15/01/2017)

E ainda vai além! Em sua alínea VI ele diz que o direito de livre escolha de crença e exercício religioso são invioláveis! Como podemos observar abaixo.

"VI - e inviolável a liberdade de consciência e de crença, sendo assegurado o livre exercício dos cultos religiosos e garantida, na forma da lei, a proteção aos locais de culto e a suas liturgias;" (disponível em: <http://www.jusbrasil.com.br/topicos/10641516/artigo-5-da-constituicao-federal-de-1988> Acesso em 15/01/2017)

Mesmo com a Constituição Nacional nos assegurando esse direito nós, Povo de Asè, vemos constantemente nossos símbolos religiosos, nossas casas de culto, nossa dignidade, nossa cidadania sendo covardemente agredidos e se fazemos qualquer comentário ou falamos qualquer coisa sobre nossos opressores que se dizem "cristãos" corremos o risco de ser agredidos moral e fisicamente.

Considero agressão e violência também quando meu sossego é interrompido repentinamente nos coletivos ou nas ruas por pessoas que saem aos berros querendo impor sua ideologia e convicções religiosas a nós goela abaixo. Também é violência e agressão quando você em um domingo tenta descansar e os mesmos que saem gritando pelas ruas e coletivos estão em seus templos com suas potentes caixas de som a toda potência nos impedindo de assistir televisão ou repousar.

Até onde sei os valores pregados por Nosso Senhor Jesus Cristo sempre foram o amor, o respeito e a caridade. Então lhes pergunto onde estão esses valores que ele ensinou? Para muitas pessoas perdidos nas escrituras que insistem em repetir sem compreendê-las em sua profundidade.

Eu lhes pergunto. Até quando as organizações de direitos humanos vão continuar olhando apenas para qualquer causa que não a nossa? Até quando será necessário sermos apedrejados em praça pública para que a sociedade olhe pra nós com algum respeito?

Como já foi dito por muitos irmãos da Umbanda e do Candomblé nas redes sociais NÃO QUEREMOS SER TOLERADOS! QUEREMOS SER RESPEITADOS!

Da mesma forma que eu respeito quem não professa a mesma fé que eu também exijo ser respeitado. Eu não saio por aí pregando a minha doutrina ou a empurrando goela abaixo de outrem assim como quando passo por alguém portando uma Bíblia nas nãos eu não digo palavras ofensivas como já ouvi voltando trajado de um compromisso religioso, o famoso "tá amarrado e repreendido".

Em minha criação aprendi que quando se quer respeito primeiro é necessário respeitar e se dar ao respeito para depois ganhar o direito de ser respeitado. 

Este foi meu protesto, meu desabafo. Acredito não ter ofendido ninguém. Apenas exerci meu direito de cidadão de bem, que sou, em manifestar minha indignação e opinião sobre os fatos sobre os quais dissertei.


Um abraço fraterno.



Pai Daniel
O Japa Umbandista






Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Lua Grande? Lua Pequena?Uma Lua? Ai meu Deus, qual a diferença???

As quartinhas na Umbanda

O Alguidar na Umbanda