Saber doar


Salve, salve Galerinha do Bem!!!


Hoje o tema do meu texto é saber doar. Você, de fato, sabe doar?

Muito se fala da prática da caridade dentro dos terreiros de Umbanda pelo Brasil a fora, mas eu me pergunto até que ponto boa parte dos médiuns umbandistas estão preparados para fazer a caridade da forma apregoada pela grande maioria de nós.

Eu entendo que a caridade é fazer o bem de forma desinteressada ao próximo, mas calma, vamos pensar um pouco. A maioria dos terreiros ou funciona na casa de seu próprio dirigente espiritual ou em um imóvel alugado. Em qualquer uma das duas situações há custos para que o terreiro funcione, tais como: aluguel, água, luz, material de consumo (vela, ervas (frescas e secas), carvão, velas, comidas e bebidas, etc) isso sem contar o aluguel quando o imóvel não é próprio.

Com isso em mente não é certo falar mal de seu dirigente espiritual quando este institui uma mensalidade para os filhos da casa e até para frequentadores mais assíduos que desejem colaborar com a casa de alguma forma. A final você coloca seus guias e Orixás em terra neste espaço sagrado, então nada mais justo que colaborar para mantê-lo em condições de funcionamento.

Outro ponto a ser considerado é: só se pode doar aquilo que se tem, isso quer dizer, só podemos doar o que temos sobrando!!! Dessa forma só devemos nos colocar à disposição para o trabalho mediúnico de incorporação quando estamos pelo menos 95% bem, pois nessa situação haverá uma reserva energética positiva para ser doada.

Também sabemos que nossa religião ensina que antes de qualquer trabalho espiritual devemos ter um preparo prévio que muitas vezes começa 24 horas antes do início da cerimônia e alguns terreiros indicam a manutenção do preceito até depois da gira, pois sabe-se que os guias continuam seus trabalhos espirituais mesmo depois que se fecham as cortinas do congá e o dirigente deseja boa noite.

Agora pense! Se você está deprimido, triste, ou com muita raiva de alguém ou algo, o que de bom em termos de energia você tem para oferecer para o próximo? Pouco ou nada, concorda? Nesses casos devemos usar nossa humildade e chegar no dirigente espiritual e no guia em comando nos trabalhos da noite e dizer que não estamos bem e iremos auxiliar no que for preciso. Sempre há algo a fazer.

Reconhecer que não se está bem muitas vezes é uma excelente oportunidade para se colocar ao lado de um guia espiritual, aprender com os ensinamentos passados para os consulentes durante o trabalho e ao final de tudo receber um revigorante passe e um carinhoso e afetuoso abraço acompanhado de um muito obrigado pela ajuda naquela noite. As vezes ainda podemos ser surpreendidos com o guia que auxiliamos chamando nosso guia para nos deixar aquela vibração de amor e carinho de que tanto necessitamos.

Meus irmãos em Oxalá, esse é o meu entendimento sobre saber doar, sobre fazer caridade.


Um abraço fraterno.



Pai Daniel
O Japa Umbandista




Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Lua Grande? Lua Pequena?Uma Lua? Ai meu Deus, qual a diferença???

As quartinhas na Umbanda

O Alguidar na Umbanda