Mediunidade

Depois de bastante tempo sem postar artigos aqui, assistindo o programa Dimenssões, apresentado por Rosana Beni, resolvi escrever um artigo falando sobre a mediunidade.

A mediunidade é uma dom inerente a todo ser humano, eu ousaria até a dizer a todo ser vivo, em maior ou menor grau os animais possuem mediunidade.

É ou não é verdade, que gatos e cães são capazes de enchergar as entidades ou até mesmos obssessores?

Mediunidade também não é privilégio das doutrinas Espíritas, percebe-se em diversas religiões manifestações mediúnicas, mesmo que seus praticantes não admitam ela existe e se faz presente.

Até mesmo na Bílbia Sagrada, escritura sagrada dos Cristãos, se a lermos com isenção de preconceitos veremos que está repleta de passagens em que se falam de processos mediúnicos ou de vida pós "morte", entenda-se por morte o fim da existência física, pois como sabemos a essência divina continua seu processo de evolução, mas em outro nível energo-vibratório principalmente dimensional.

É comum, principalmente na Umbanda e no Candomblé, ver nossos irmãos com outros tipos de mediunidade que não a de incorporação se sentindo à margem dos demais médiuns por não incorporarem.

Tal fato se deve ao fato de tradicionalmente se poder ter contato direto com os espíritos em nossa busca pela cura de nossas dores e resolução dos problemas que nos afligem em nossa vida material.


Nos esquecemos que existem outras formas de mediunidade, que não a de incorporação, podemos citar a psicografia, a pictografia, a vidência, a clarividência, a clariaudiência, a mediunidade de cura, entre outras tantas, que são tão ou mais importantes para o trabalho dentro do terreiro como a mediunidade de incorporação.

Também é comum o medo dos médiuns iniciantes do processo de incorporação, não só por ser algo novo e desconhecido, que vai demandar deles grande disciplina, dedicação, abnegação, mas também pela crença de que para incorporar o nosso espírito sai do corpo para dar lugar para o espírito guia trabalhar.

Não minha gente!!!!! Não é assim que funciona!!!!!

O processo de incorporação é algo extremamente simples e tranquilo.

A incorporação se dá quando o guia, entidade, espírito comunicante, como queiram chamar, acopla seu perispírito ao nosso influenciando assim nossos pensamentos, alterando a forma de falar e se expressar.

Assim sendo não saimos do corpo para dar lugar a outro espírito, pois estamos ligado ao nosso corpo por uma estrutura espiritual chamada cordão de prata.

Que nunca teve a sensação de estar caindo da cama?

Pois é!!! Essa sensação ocorre quando o cordão de prata nos "puxa" abruptamente de volta ao corpo material, em geral isso ocorre durante o sono quando nos desdobramos em projeção astral e nos vemos deitados na cama, nos assustamos e o cordão de prata nos traz de volta.

A respeito da mediunidade, Kardec já nos explicou muita coisa, por isso para que sejamos instrumentos cada vez melhores para nossas entidades, devemos sempre estudar e buscar aprender com os bons conselhos e ensinamentos que elas nos trazem a cada trabalho.
Um abraço fraterno.
Daniel
O Japa Umbandista




Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Lua Grande? Lua Pequena?Uma Lua? Ai meu Deus, qual a diferença???

As quartinhas na Umbanda

O Alguidar na Umbanda