Exu, Anjo ou Demônio?

Prezados irmãos em Oxalá,

Peço desculpas pelo longo tempo sem postar um artigo aqui no blog.

Hoje resolvi escrever sobre um assunto que causa curiosidade em quem não vive nossa religiosidade e algumas vezes medo ou receio em médiuns iniciantes que é Exu. Quem é Exu? Exu é anjo ou demônio?

O primeiro ponto a ser esclarecido é que existe uma grande diferença de Exu Orixá e Exu Entidade (espírito militante nas religiões de matriz africana).

Exu dentro dos Candomblés é um Orixá assim como Oxalá, Xangô, Iemanjá, Oxum também o são, portanto, tem seus filhos dentro de uma roça; já Exu Entidade são espíritos atuantes nos trabalhos de atendimento espiritual nos terreiros sejam eles de Umbanda ou Candomblé.

Exu Orixá tem "qualidades" ou caminhos como não sou iniciado e meus conhecimentos a esse respeito são muito pequenos não quero me arriscar a escrever algo que não seja verdadeiro, pois se escreve muita bobagem por aí.

Já Exu entidade é um espírito que trabalha nos terreiros orientando e aconselhando os consulentes que os procuram nas giras de atendimento. Atendem por nomes como Tranca Ruas, Caveira, Pinga Fogo, Sete Encruzilhadas entre outros nomes.

Infelizmente por influência de igrejas cristãs como a católica, principalmente, e hoje, as seitas neopentecostais, as imagens referentes a Exu foram demonizadas e se observarem com atenção muitas das imagens disponíveis no comércio os Exus estão pintados de vermelho, com chifres, pés de bode, rabo, a exemplo do diabo cristão.

No entanto, Exu é sem sombra de dúvida o mais humano das entidades que vêm a nós nas giras nos terreiros. São espíritos muito irreverentes e brincalhões riem de tudo, são sinceros ao extremo, gostam de fumar, comer e beber do bom e do melhor assim como nós gostamos.

Se observarmos as sessões onde o número de pessoas atendidas é maior são as sessões de atendimento com Exu e Pombogira, mas por que? É fácil responder essa pergunta, infelizmente, grande parte das pessoas que recorrem a eles o fazem de forma mesquinha e egoísta ou estão em busca do "antibiótico" para suas mazelas e tão logo sejam "curadas" desaparecem do terreiro.

É preciso respeita-los assim como respeitamos nossos amados caboclos e pretos velhos. Pois como diz um Exu muito querido "Onde Caboclo não suja o saiote de penas e preto velho não suja as rendas é lá que Exu trabalha."

Umbanda sem Exu não existe! Umbanda sem Exu não há!

Laroye Exu! Exu mojubá!


Abraço fraterno.

DANIEL


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Lua Grande? Lua Pequena?Uma Lua? Ai meu Deus, qual a diferença???

As quartinhas na Umbanda

O Alguidar na Umbanda