O silêncio na casa de axé.


Saravá meus amigos, irmãos e leitores.

Hoje quero escrever sobre um assunto que tenho observado muitas pessoas não respeitam nas casas de axé; quero falar sobre o silêncio. O silêncio é uma postura exigida em alguns locais e é respeitado sem grandes resistências e quando quebrado de forma a atrapalhar ou perturbar a paz do locas as pessoas são advertidas por alguém e acabam fazendo silêncio. Por quê em nossas casas é diferente?

Observo que muitas pessoas tanto assistidos como médiuns encaram o terreiro como um clube onde vão encontrar amigos ou conhecidos, se esquecem que estão ali em busca de uma orientação religiosa ou de um contato íntimo com nosso Pai Criador que se manifesta a nós por intermédio de seus Orixás e todos os guias de trabalho.

Tenho observado muitos comportamentos inadequados da assistência mas neste texto vou me ater apenas à questão do silêncio. Tenho observado que a assistência não percebe a importância da manutenção do silêncio antes do início dos trabalhos é possível ouvir toda sorte de conversas inclusive risadas. Em vez de buscarem a conexão e a comunhão com seus Orixás ou a linha de trabalhos do dia dedicam seu tempo a conversas banais ou piadinhas.

Grande parte dos frequentadores de nossos templos, tendas, terreiros, searas, como queiram chamar, ignoram o fato de que muito antes de chegarem ao local de culto muitas equipes de trabalho estão em atividade de preparo do ambiente físico e espiritual para possibilitar a realização dos trabalhos.

A ação dessas equipes no espaço religioso gera muitas correntes eletromagnéticas sutilíssimas que são quebradas por pessoas falando e rindo alto no ambiente onde deveriam estar em prece e buscando conexão com seus Orixás e a linha de trabalho que prestará auxílio naquela tarde ou noite de trabalho.

No entanto, também observo, que parte dessa culpa também cabe a nós dirigentes espirituais que muitas vezes não orientamos, não explicamos para os frequentadores de nossas casas espirituais a importância do silêncio e como funciona a preparação do ambiente de trabalho do ponto de vista espiritual.

Não basta apenas afixarmos placas ou cartazes com os dizeres: "O SILÊNCIO É UMA PRECE" sendo que muitas vezes o próprio corpo mediúnico não assume essa postura reverente e de respeito. Sacerdote, Zelador, Pai de Santo, Padrinho, seja como for que você chame, e a corrente mediúnica devem ser o exemplo a ser seguido, não adianta nada ensinar, mostrar o caminho certo se fazemos tudo ao contrário.

Abraço fraterno.

D A N I E L



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Lua Grande? Lua Pequena?Uma Lua? Ai meu Deus, qual a diferença???

As quartinhas na Umbanda

O Alguidar na Umbanda